top of page
  • Paola Antony

Trilogia dos Afetos

Atualizado: 19 de mar.

Divulgação


Três peças, em teatro de miniatura, com dramaturgias inspiradas nas memórias afetivas e pessoais das três artistas que integram a companhia As Caixeiras cia. de bonecas

 

Sabe aquela emoção vivida ao sermos surpreendidos por uma delicadeza que nos é oferecida?

Uma alegria que apaga os outros pensamentos, um gelinho no coração, um instante de encantamento.

Foi isso que senti ao assistir o novo espetáculo das Caixeiras Cia. de Bonecas que se chama Trilogia dos Afetos.

Senti porque ouvi três segredos.

Um de cada atriz. Elas me contaram de dentro de uma caixa cênica, em formato de lambe-lambe. Confissões breves. Cerca de três minutos cada uma e que deixaram meu dia muito melhor.

As atrizes são: Amara Hurtado, Jirlene Pascoal e Mariana Baeta. Precursoras na pesquisa e difusão de Teatro Lambe-Lambe no DF e que estão celebrando uma caminhada de 15 anos - dedicados às artes cênicas - com importantes conquistas e grandes realizações.

O Teatro Lambe-Lambe é uma das vertentes de Teatro de Animação Contemporâneo apresentado no espaço reduzido de uma caixa cênica e para um público de até três pessoas, que assistem à ação cênica através de uma pequena abertura. Todo o espetáculo é encenado dentro dessa pequena estrutura, onde as atrizes manipulam bonecos em miniaturas, controlam a iluminação e o som.


 Paola Antony


Amara Hurtado nos conta que esta é uma modalidade brasileira de teatro, inventada em 1989, pelas atrizes-animadoras baianas de Salvador Ismine Lima e Denise dos Santos.

“ ...elas tiveram essa grande ideia de inventar um teatro onde pudesse ser contado um segredo, onde pudesse haver intimidade, uma intimidade muito especial, porque o teatro lambe-lambe surgiu para criar a possibilidade de um artista apresentar seu espetáculo para um único espectador.

O que as inspirou foi a necessidade de falar, dialogar, apresentar temas que naquele tempo e ainda hoje são caros para nós mulheres, que é o momento do parto. Denise é arte- educadora, dava aulas e queria falar do nascimento de forma íntima e delicada para que as crianças e jovens tivessem esse contato de forma mais amorosa e, ao buscar possibilidades, chegaram na câmera de fotografia lambe-lambe, que na época, em 1989, estava sumindo das praças. Então elas pensaram também em fazer homenagem a esses fotógrafos”.

  

Trilogia dos Afetos é a mais recente realização da companhia que tem um vasto repertório. Nele as caixeiras construíram encenações que revelam fragmentos íntimos a partir de memórias e objetos afetivos e pessoais que são encenadas para um espectador por vez.


 Paola Antony


Jirlene Pascoal nos conta o que as levou a falar sobre os afetos: Primeiro, vem daí; três mulheres batalhadoras, fazendo teatro, que a gente sabe o quanto é difícil. Acho que tem uma coisa de pandemia pelo meio também, dessa época que a gente ficou isolada. Então surgiu a ideia de falar sobre os afetos, a princípio entre nós.

A partir daí convidamos a artista catarinense Jô Fornari, porque ela tem toda uma experiência nessa área dos afetos. Ela nos proporcionou uma oficina, um mergulho com os objetos, uma coisa bem profunda onde cada uma de nós levava seus objetos e a partir deles a gente fazia nossas viagens através do tempo. As vivências foram muitos poderosas, potentes e a partir dessa vivência cada uma conseguiu criar sua história. Nasceu a trilogia dos afetos”.


Divulgação

 

É bem provável que elas sigam por um tempo apresentando a Trilogia dos Afetos.

 

Inclusive, nos meses de março e abril, estarão participando do Encontro de Teatro lambe-lambe que irá percorrer algumas cidades do DF.

 

Aí está uma Companhia para gente não perder de vista.

Que venham outros espetáculos.

 

Conheça melhor a Companhia, que pesquisa a difusão do Teatro Lambe-lambe há 17 anos, em www.ascaixeiras.com e pelas redes sócias, As Caixeiras Cia.de Bonecas.

 

A Rádio Eixo conta com o fomento do FAC - Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.


38 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page