top of page
  • Paola Antony

O Noviço

MARTINS PENA

PROGRAMA 2

 


 

A RÁDIO EIXO APRESENTA EIXOENCENA


BG   “Mambembe” Chico Buarque (versão Chico e Roberta Sá) 

 

Narrador (rádio novela) – Olá ouvintes, este é o programa EIXOENCENA. Uma série de Rádio-Teatro que fará ao longo deste ano uma homenagem ao Teatro Brasileiro do séc. XIX e ao Teatro de Brasília. Eu sou TIAGO DE CARVALHO e o nosso primeiro autor da série é “MARTINS PENA”.  O elenco do projeto EIXOENCENA é formado por mim e pelas atrizes KARLA CALASANS, LÍLIAN ALENCAR, e grande elenco. Neste segundo programa temos uma cena da peça o “O Noviço”.

 

BG - “O corta jaca” de Chiquinha Gonzaga

 

Narrador (rádio novela) – A peça o “Noviço” de Martins Pena foi levada ao palco pela primeira vez no ano de 1845, como nos alerta a historiografia teatral brasileira. A obra conta as tramoias de um malandro que se casa duas vezes e tenta roubar o dinheiro de suas esposas. No início desta cena se encontra a personagem Florência, uma carioca metida a rica, que se alimenta do orgulho de ter se casado com um homem nobre, mal sabe ela que este é um belo de um Malandro, um belo de um Golpista... ouçam Florência:

 

 

FLORÊNCIA - Se não fosse este homem com quem me casei pela segunda vez, não teria agora quem zelasse com tanto desinteresse a minha fortuna. É uma bela pessoa, uma alma nobre... Me rodeia de cuidados e carinhos. Ora, digam lá que uma mulher não deve se casar pela segunda vez... Se eu soubesse que havia de ser sempre tão feliz, me casaria uma cinquenta vezes...

 

Narrador (rádio novela) – De repente de supetão Emília, sua filha, vem como se estivesse atravessando a sala rapidamente e tomba.


 

FLORÊNCIA (rindo absurdos) Que queda dos diabos... (rubrica do roteirista) - Emília, vem cá.

EMÍLIA (LÍLIAN) – Senhora?

FLORÊNCIA  – Que queda em minha filha (rindo ainda). Chega aqui. Ó menina, não deixarás este ar triste e lagrimoso em que andas?

EMÍLIA - Minha mãe, eu não estou triste. (Limpa os olhos com o lenço.)

FLORÊNCIA - Aí tem! Não digo? Claro que está a chorar. De que choras?

EMÍLIA - De nada, não senhora.

FLORÊNCIA - Ora, isto é insuportável! Você mata e amofina uma mãe que vive louca para fazer a felicidade da sua filha, e como você agradece? Chorando, chorando, chorando. Ora, seja lá uma mãe e tenha filhos tão desobedientes...

EMÍLIA - Não sou desobediente. Farei sua vontade, mas não posso deixar de chorar e sentir.

Narrador (rádio novela) Aqui neste momento Ambrósio, aquele malandro de quem falei, nas costas das duas mulheres ouve a conversa de maneira sorrateira...

 

FLORÊNCIA - E por que tanto chora menina, por quê?

EMÍLIA - Minha mãe...

FLORÊNCIA - O que tem de mau a vida de freira?

EMÍLIA - Será muito boa, mas é que não tenho inclinação nenhuma para ela.

FLORÊNCIA - Inclinação! O que quer dizer inclinação? Terá, sem dúvida, por algum francelho, vagabundo freqüentador de bailes e passeios, jogador do écarté e dançador de polca? Essas inclinações é que fazem se perder muitas meninas. Esta cabecinha ainda está muito leve; eu é que sei o que me convém: serás freira.

EMÍLIA - Serei freira, minha mãe, serei! Assim como estou certa que hei-de ser desgraçada.

FLORÊNCIA - Histórias! Sabes tu o que é o mundo? O mundo é... é...

 

Narrador (rádio novela) Agora Florência sussurra para si mesma e logo depois se volta paraa Emilia

 

FLORÊNCIA - Já não me recordo o que me disse o Sr. Ambrósio o que era o mundo. (Alto para Emília) Emília, o mundo é... um... é... E está? Está aqui o meu Ambrósio (crivo do roteirista). Ah, Ambrósio, dize aqui a esta estonteada o que é o mundo.

AMBRÓSIO (TIAGO) - (adiantando-se) O mundo é um pélago de enganos e traições, um escolho em que naufragam as felicidades e as doces ilusões da vida... E o convento, menina Emília, é o porto de salvação e a ventura, o único abrigo da inocência e a verdadeira felicidade... Oh Florência, onde está minha casaca?

FLORÊNCIA – Oh meu lindo Ambrósio se Emília tivesse um homem como eu por garantia, eu nem enviaria esta menina ao convento. Seu casaco está lá em cima no sótão. (Ambrósio sai pela direita. Florência para Emília:) Ouviste o que é o mundo, Emíia, e ouviste o que é o convento? Não sejas pateta, venha acabar de se vestir que é hora da nossa saída.


BG - Volta o “O corta jaca” de Chiquinha Gonzaga

 

 

LÍLIAN

 

A comédia “O Noviço” produz um retrato da sociedade carioca no período e ilustra o gosto médio dos frequentadores de teatro de então. Com um texto leve e tipos comuns do imaginário brasileiro, aplica os princípios do ensinamento pelo humor, criticando a mentira e a fraude. Mas os ouvintes devem estar se perguntando qual fim terá Ambrósio, o malandro? Hum terão que ler, Leiam.

 

 

KARLA

 

 

A música que acabamos de  ouvir no início e fim da cena de “O

Noviço” é o famoso “Corta Jaca” de Chiquinha Gonzaga, uma das maravilhas do choro brasileiro. A compositora é um ícone de nossa cultura e nasceria exatamente em 1847 ano do auge da fama de Martins Pena. Há duas curiosidades históricas muito relevantes que circundaram a vida do dramaturgo. E iremos contar para vocês.

 

LÍLIAN

 

Em sua época, Martins Pena teve a maioria, senão a totalidade de suas peças representadas no Teatro Real de São João, neste período o Brasil não tinha tradição de grupos cênicos, e esta foi a primeira companhia de atores do Brasil, fundada e criada por João Caetano, o pai do teatro brasileiro.

 

TIAGO

 

Em relação a um retrato da História do Brasil, o ano de produção do espetáculo “O Noviço”, 1845 foi o ano do Slave Trade Suppression Act ou Aberdeen Act, mais conhecido no Brasil como Bill Aberdeen, ato do Parlamento do Reino Unido, que autorizava os britânicos a prender qualquer navio suspeito de transportar escravos no oceano Atlântico. Esta lei que produziria os efeitos em massa do fim da escravidão nas Américas, foi sabidamente não seguinda no Brasil que por mais de três ou quatro décadas manteve a escravidão e sofreu apreensões e ameaças do ingleses.

 

KARLA

 

Vale dizer que Martins Pena não foi um dramaturgo que se envolveu de forma clara nos problemas políticos nacionais, mas tornou-se um grande colaborador de leitura da nossa sociedade a partir da comédia de costumes como se dá em “o Noviço.

 

LÍLIAN

 

E assim encerramos o SEGUNDO episódio na nossa série: o Teatro de Martins Pena. Na próxima semana teremos uma cena da peça “O Judas em Sábado de Aleluia”. Agradecemos em muito seu prestígio e sua paciência querida e querido ouvinte por terem se colocado com atenção no nosso programa EIXOENCENA.

 

TIAGO

 

O  programa EIXOENCENA é  parte do projeto RÁDIO TEATRO, OS FUNDADORES DO TEATRO BRASILEIRO E O TEATRO DE BRASÍLIA  realizado com recursos do FUNDO DE APOIO À CULTURA DO DISTRITO FEDERAL e como se diz no bom e velho teatro fiquem bem e

OS TRÊS ATORES JUNTOS: “MERDA PRA TODOS”


A RÁDIO EIXO APRESENTOU EIXOENCENA

   

BG Volta “Mambembe” de Chico Buarque - versão original



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page